24.1.13

My Dream


Queria poder dizer que não sofri preconceito e que foi tudo fácil. Jovens que engravidam ainda na adolescência são vistas por mal olhares pela sociedade. Eu apenas resolvi enfrentar tudo e todos ao meu redor, e seguir em frente com essa louca e arriscada ideia que é ser mãe.

Perto da data do Derek nascer, tive algumas complicações, fiquei internada 11 dias em hospital público, me trataram muito vem e não tive necessidades, porem, ver pessoas doentes, mães tendo abortos por causa de drogas. Tudo isso estava me apavorando, eu só conseguia pensar: será que esta tudo bem com o Derek? Por quê ele ainda não venho? Estava com tanto medo. Qualquer mal estar que sentia eu mandava chamar correndo as enfermeiras, elas vinham e ainda brincavam comigo - calma menina, seu filho é preguiçoso!


Minha mãe foi guerreira, meus parentes iam me visitar exatamente todos os dias, e a família do meu namorado sempre do meu lado. Falando em namorado, o Adriel faltou a faculdade para me fazer companhia, aguentava meu desabafo, meus choros, as dores do soro nas veias estouradas e compartilhava comigo a angustia do nossa anjo nunca querer sair do lugar quentinho e grande que estava minha barriga.

Já em casa, soube quando chegou a hora assim que acordei, coloquei minha calça de abrigo tamanho extra g, meus tênis nike que não machucava meu pés inchados e fui a aula, lembro que falava as minhas amigas: é hoje! Não aguento de  cólicas! Eu sinto que é hoje! Mesmo assim fui almoçar na minha tia, comecei a ter dores fortes, e eu mandando chá de maçã. Assim que o Adriel chegou na rodoviária de onde eu moro, fomos correndo pra casa, tomei banho, e respirei fundo, pedi a Deus pra me dar todas as forças do mundo pra enfrentar o que estava por vir.

Mesmo assim, o Derek resolveu vir na madrugada, perto das duas da manhã. A dor era insuportável, eu me lembro de gemer e pensar que iria morrer, os segundos pareciam horas. Mas quando eu olhei para aquele corpo estranho, frágil, melequento em cima do meu colo, eu simplesmente esqueci de tudo, afirmava a mim mesma: é a coisa que eu mais amo no mundo!


Eu estava acabada, passei toda a madrugada olhando pra ele: que pés grandes, que bochechas fofas, que unhas desalinhadas, nossa que boca perfeita. Bateu 7:00 da manhã, o Adriel bate a porta do meu quarto com flores na mão e um chaveiro, ele parecia não acreditar no que estava vendo, pegou o Derek como se fosse um objeto que poderia quebrar a qualquer momento, nos olhamos e pensamos juntos: "como pode ser tão lindo? Tão perfeito? Como podemos amar tanto esse bebe tão pequeno? 

As primeiras noites foram difíceis, não que agora não seja. A ficha caiu, eu já tinha me tornado mãe, aquele anjinho era responsabilidade minha. Tive que amadurecer, crescer, cuidar de uma vida que não fosse a minha.

Consegui terminar o ensino médio, sentia tanto orgulho de mim, não desisti de nada, apenas segui em frente. Prometi a mim mesma que iria dar o meu melhor pra poder oferecer todo o conforto do mundo pro Derek.


Passei na faculdade, vim morar com meu namorado e minha cunhada, na cidade vizinha. Meu coração estava explodindo de ansiedade, mas ao mesmo tempo, eu continuava com medo. E agora? Vou ter que dar conta de tudo sozinha, sem a ajuda da minha mãe. Não sei se consigo!

O tempo foi passando, e hoje estamos aqui, completando quase um ano morando com quem mais amo, o Adriel e o Derek, cada dia é mais perfeito que o outro. Passamos por muitas dificuldades, febres escaldantes, choros encaláveis, birras, mordidas, puxões de cabelo e bagunça, muita bagunça. Mas sabe, nada, exatamente nada se compara a todos os dias a noite fazer um inocente dormir, arrumar a cama dele e cobri-lo com um lençol fino, e ficar observando o quando seus lábios ficam salientes e seus olhos apertados enquanto sonha. E ao acordar, segue o mesmo ciclo, sorrisos, abraços, brincadeiras, gracinhas, tudo, tudo isso não tem preço.

Eu daria minha vida pela felicidade do meu filho, e ai de quem dizer que não sou boa mãe. Abri mão de muitas coisas sem me arrepender e sem olhar pra trás. Me orgulho de ter o filho que tenho. 

Só queria que soubesse meu filho, que a mãe boba e esquisita aqui te ama muito, e quer estar ao seu lado ate quando for possível. Beijos e abraços dos seus pais.


13 comentários:

  1. Gente, o Derek é muito fofo!!!!!

    www.dirty-and-gold.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Me emocionei, Paola. Este guri é a nossa felicidade também e você tem sido uma mãe exemplar.

    ResponderExcluir
  3. Nunca duvidei desse amor,curtam muito sempre! Amo vocês :)

    ResponderExcluir
  4. Aw sogrinhos, amo vocês ♥ Muito obrigada.

    ResponderExcluir
  5. aw aw aw *-*
    estou apaixonada pela última foto, lindos s2

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, muito muito obrigada s2

      Excluir
  6. Gente eu realmente estou boba com a maturidade que tu teve, muita coragem pra enfrentar isso. Se fosse comigo acho q n seria bem assim.

    Boa sorte garota! fiquei fã

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, muito obrigada, serio mesmo, legal ler opinioes positivas dos meus leitores, obrigada mesmo.

      Excluir
  7. Aiii Meu Deus essa foi a coisa mais linda que ja li em um blog na internet . Realmente sua maturidade , foi uma coisa incrível ! Espero que de tudo certo pra você sua família . E mais um motivo de eu nunca parar de seguir e ler seu blog . Pois e maravilhoso .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, obrigada mesmo, é muito importante, obrigada aw

      Excluir